Oxicorte

Qualquer quantidade, sob medida!

CNC Oxicorte

• Cortes em espessuras de 3mm à 500mm

• Aços: 1010/20, 1045/50, ASTM a 283ºC, a 285ºC, a 516ºC 60/70 espessuras de 3 a 500mm

• Discos, anéis, retângulos, desenhos / modelos especiais corte em fotocélula

• Rígidas tolerâncias dimensionais

 

Calderaria leve

  • Serviços de soldas, furações e montagens;
  • Guarda-corpo e corrimão.

Oxicorte é largamente empregado pelas indústrias (mecânicas, estaleiros, construções, siderúrgicas e metalúrgicas) por apresentar excelente relação custo-benefício devido à rapidez e baixo custo com relação a outros métodos de corte.

É uma técnica do início do século, muito utilizada até hoje, e  ideal para o corte de chapas grossas de aço carbono (recomendável a partir de 6mm até 500mm de espessura).

Muito usado também para o corte de placas, barras ou outros elementos ferrosos, o processo se dá através da reação química entre o jato de oxigênio e o aço carbono aquecido por um gás combustível (acetileno, hidrogênio, propano, ou GLP) à sua temperatura de ignição.

Por se tratar de uma reação química de oxidação, o oxicorte não corta aço inox por ser um aço com características anti oxidação. O aço inox é cortado por outros processos de corte como: corte por plasma, corte por jato de água, corte mecânico por atrito e abrasão.

Ao se iniciar o processo de corte deve-se ter muita atenção, uma vez que iniciada a operação a mesma não deve ser interrompida. Uma interrupção desnecessária pode interferir na qualidade do trabalho.

Uma vez que no processo de oxicorte o aquecimento pode alterar a estrutura da região afetada pelo calor recomenda-se, para algumas aplicações, o tratamento térmico (alívio de tensão, recozimento ou normalização) restituindo-se ao material as propriedades mecânicas, o refino e homogeneização das estruturas brutas de fusão do material.

Sendo a superfície da chapa plana e uniforme esta técnica é ideal para o corte de chanfros e de formas complexas, agilizando a produção, transferindo valor para as etapas subsequentes (usinagem e solda) e contribuindo na redução dos custos totais de fabricação.







O corte de materiais é uma das mais importantes etapas na cadeia dos aços. Tanto as chapas prontas devem ser cortadas em peças para seu destino final, como as sucatas devem ser cortadas em peças de menores dimensões para facilitar seu processamento posterior. Podemos dividir os cortes em:

    • Mecânicos

Corte por cisalhamento através de guilhotinas, tesouras ou similares e por remoção de cavacos através de serras ou usinagem.

    • Por Fusão do Metal

Corte através da fusão de uma fina camada do material utilizando-se uma fonte de calor que pode ser um arco elétrico, plasma ou maçarico.

    • Por Combinação de Fusão e Vaporização

Processos de corte que utilizam o princípio da concentração de energia como característica principal de funcionamento, não importando se a fonte de energia é química, mecânica ou elétrica. Enquadram-se neste grupo o corte por jato d’água de elevada pressão, LASER e algumas variantes do processo plasma.

    • Por Reação Química

Corte combinado envolvendo os seguintes mecanismos: aquecimento através de chama e reações exotérmicas, seguido de oxidação do metal e posterior expulsão através de jato de O2. Ex. corte oxi-combustível, o oxicorte.

De todos estes métodos, há uma particular preferência pelo oxicorte devido a ser o processo mais barato de implementar, com equipamentos mais simples, com a maior facilidade de treinamento do operador e, particularmente na faixa de espessuras maiores que 30 mm, ser o processo que propicia o menor custo por metro cortado.

Definição

O oxicorte é o processo de secionamento de metais pela combustão localizada e contínua devido a ação de um jato de Oxigênio, de elevada pureza, agindo sobre um ponto previamente aquecido por uma chama oxicombustível.

Equipamentos Utilizados

Uma estação de trabalho deve ter no mínimo os seguintes equipamentos para execução do processo:

    • Um Cilindro ou Instalação Centralizada para o Oxigênio (O2).
    • Um Cilindro ou Instalação Centralizada para Gás Combustível (Acetileno, Propano, GLP).
    • Duas Mangueiras de Alta Pressão para Condução dos Gases.

Eventualmente Três se Utilizar o Oxigênio de Corte e de Aquecimento em Mangueiras Separadas.

  • Um Maçarico de Corte.
  • Um regulador de Pressão para Oxigênio.
  • Um regulador de Pressão para Acetileno.
  • Dispositivos de Segurança (válvulas anti-retrocesso).

Princípio de operação

Na temperatura ambiente e na presença de O2, o ferro se oxida lentamente. À medida que a temperatura se eleva, esta oxidação se acelera, tornando-se praticamente instantânea a 1350°C. Nesta temperatura, chamada de temperatura de oxidação viva, o calor fornecido pela reação é suficiente para liquefazer o óxido formado e realimentar a reação. O óxido no estado líquido se escoa, expulso pelo jato de O2, permitindo o contato do ferro devidamente aquecido com O2 puro, o que garante a continuidade ao processo.

O processo baseia-se no aquecimento localizado feito com um maçarico especial de corte. Ao atingir a temperatura de oxidação viva segue-se a injeção de O2 através do orifício central do bico de corte fixado no maçarico.

As condições básicas para a ocorrência do oxicorte são as seguintes:

  • A temperatura de início de oxidação viva deve ser inferior à temperatura de fusão do metal.
  • A reação deve ser suficientemente exotérmica para manter a peça na temperatura de início de oxidação viva.
  • Duas Mangueiras de Alta Pressão para Condução dos Gases.
  • Os óxidos formados devem ser líquidos na temperatura de oxicorte facilitando seu escoamento para possibilitar a continuidade do processo.
  • O material a ser cortado deve ter baixa condutividade térmica.
  • Os óxidos formados devem ter alta fluidez.

O ferro em seu estado metálico é instável, tendendo a se reduzir para o estado de óxido. No processo de corte esta reação é acelerada, havendo um considerável ganho exotérmico. As reações do ferro puro com o O2 são as seguintes:

Fe + ½ O2 FeO + D (64 kcal)

2Fe + 3/2 O2 Fe2O3 + D (109,7 kcal)

3Fe + 2O2 Fe3O4 + D (266 kcal)

No processo, a chama oxi-combustível tem a função de aquecimento do metal. Regula-se a chama no maçarico, inicia-se o aquecimento da região a ser cortada por uma borda ou faz-se uma perfuração na chapa. Quando o material em volta deste ponto inicial estiver na temperatura adequada, abre-se a válvula do O2 de corte e inicia-se o deslocamento do maçarico, o que inicia o processo.

Deixe uma resposta